maio 28, 2010

Desabafo de um advogado

Advogado-honorário

Atendi em meu escritório um senhor idoso que me questionou sobre uma
ação de reintegração de posse de um imóvel avaliado em aproximadamente
cem mil reais. O senhor possuía condições financeiras confortáveis com
nada que justificasse um atendimento gratuito pelo Estado.

Após conversarmos sobre o seu problema, o mesmo indagou sobre o valor
dos honorários advocatícios que eu cobraria para ajuizar seu processo.
Após responder, ele se despediu e garantiu que retornaria em breve com
os documentos necessários.

Não direi o valor cobrado exato, mas foi um valor de acordo com a
complexidade do trabalho e em simetria com a tabela da OAB.
No dia seguinte, o senhor voltou e sentou-se a minha mesa. Puxou R$
200,00 da carteira, em notas de R$ 5,00 e de R$ 10,00, e jogou-as em
cima da mesa pedindo que eu conferisse os valores.
Pensei comigo mesmo:  ele vai me pagar o restante em cheque, só pode ser
isso. Espero que seja.

Após preparar o contrato e a procuração, ele me diz: Acredito que até o fim do mês que vem eu já tenha pelo menos mais R$ 800,00.

Fiquei perplexo e perguntei: O Sr. sabe que eu cobrei X de honorários, certo?

Respondeu: Você disse que ia me cobrar R$ 1.500,00, sendo que eu te daria R$ 200,00 agora e o restante somente quando eu tivesse dinheiro.

Retruquei: O Sr. está enganado. Sua esposa e filha estiveram aqui antes de você na semana passada para conversar sobre o mesmo problema e cobrei delas o mesmo valor que eu te cobrei ontem. Eu jamais iria aceitar R$ 200,00 para entrar com uma ação judicial, você só pode estar enganado. Isso não cobre nem as custas processuais da ação.

Depois de mais uns minutos de conversa, ele pergunta: Será que eu me confundi? Você não é o fulano???

Não. Meu nome é CICLANO. E nunca cobraria R$ 200,00 para entrar com ação nenhuma. Com certeza você está mais do que enganado, está quase me ofendendo.


Imediatamente ele fica vermelho e morto de vergonha. Não tem onde enfiar
a cara. Pede mil desculpas e me diz que fez confusão. Confessa que
depois que saiu do meu escritório foi consultar outro advogado e que
disse para ele que eu tinha cobrado X. Também diz que o outro advogado
tinha feito uma proposta irrecusável: R$ 1.500,00 com R$ 200,00 de
entrada e o restante somente quando ele pudesse pagar.

Fiz muita força para não rir e graças a Deus consegui me segurar. Disse
que realmente a proposta era muito boa e que entendia o porquê dele ter
feito toda essa confusão.

Expliquei: O fato de ter me confundido com o outro era óbvio: ele gostou muito do meu escritório, da minha biblioteca de livros de Direito, do meu
atendimento, e por isso queria me contratar. Só que diante da oferta irrecusável do outro colega de profissão, ele não podia mais me contratar. Em sua cabeça ele queria me contratar com o preço do outro, coisa fática e juridicamente impossível.

Depois de ouvir minha explicação, voltou a pedir mil desculpas e disse
que eu estava certo. Simplesmente concordou comigo. Joguei de volta os seus R$ 200,00 e desejei muita sorte em seu futuro processo judicial.

Assim que ele foi embora cheguei na seguinte incógnita: Será que a advocacia está em crise e muito advogado está na pior? Ou será que é uma estratégia de mercado agressiva visando captação de clientela e morte da concorrência por inanição?

21 comentários:

  1. Seu Putz, me perdoe, isso não é caso prá se contar. A realidade esta aí, e as atitudes existentes nem se comparam, essa historiazinha é bem singela, existem, com certeza, outras bem mais dramáticas. é a classe? É a necessidade financeira? É a agressividade competitiva? Não. Nada justifica a ética, a honra, o caráter. Mas............a realidade atual é essa!!!! Porém, tudo tem seu lado positivo, ainda existem aqueles que acreditam....é o caso do autor do caso.

    ResponderExcluir
  2. Ou...Será que existem advogados que cobram um preço justo do cliente e não tentam meter a faca nos coitados?Aliás,meter a faca e jogar pimenta em cima.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Pois é... Seu Putz também anda catando histórias pra sobreviver. O anônimo aí poderia mandar coisa mais interessante?

    ResponderExcluir
  5. Ao Ricardo: no dia em que advogado trabalhar por esse valor for considerado um preço justo, o sadvogados com os quais vc deve estar acostumado vao fazer jus ao valor e à fama da classe.200 reais e o resto a perder de vista é justo? Fala sÉrio! É por clientes assim e por advogados desqualificados que se chega a ouvir esse tipo de comentário. Meu advogado é caro mas não faz merda. aposto que esse da proposta irrecusável é mais um advogado mendigo daqueles que entra com pedido todo trocado e f**e a vida do cliente.

    ResponderExcluir
  6. “O mal advogado representa um risco para seus clientes. A adequada representação dos interesses de uma pessoa, em juízo e fora dele, implica, necessariamente, um alto grau de proficiência técnica.

    A parte em uma relação processual, geralmente leiga em direito e, muitas vezes, sem possuir correta percepção das implicações jurídicas de suas ações e das ações de seus advogados deve ter direito a receber um serviço que se caracterize por seu profissionalismo e pelo manejo adequado do instrumental jurídico disponível.

    Lamentavelmente, um profissional menos qualificado representará, para o cliente desavisado, aquilo que poderíamos chamar de um risco oculto: o cliente não compreende as dimensões do risco em que incorre ao contratá-lo, confia que seu caso será bem conduzido e, muitas vezes, surpreende-se com o resultado adverso decorrente da imperícia de seu representante.”

    ResponderExcluir
  7. Ricardo, quem não pode pagar advogado tem que procurar a justiça gratuita no fórum. O que não pode é uma pessoa com dinheiro querer pagar R$ 200,00 para um advogado. Coitado de quem aceitou trabalhar por preço tão vil, com certeza um desesperado que caiu no mercado de trabalho sem a qualificação necessária para defender o seu cliente.

    ResponderExcluir
  8. RaquelPrudenciomaio 28, 2010

    É lamentável a história do colega, mas com certeza verídica, eu também já passei por situações semelhantes, e você se questiona: onde é que vamos chegar? Advocacia virou quitanda de feira, onde o cliente procura a melhor oferta?
    Temos que nos valorizar. Trabalharmos com ética e competência é a melhor forma de sermos reconhecidos pelo nosso trabalho.

    ResponderExcluir
  9. Nao sou advogado mas acredito que o advogado pode sim cobrar o preço de R$ 200 para alguem que está passando por um momento difícil..Nao é só encher o bolso, temos q olhar o próximo gente...e nao é por isto que ele é um bom ou um mal profissional. Para mim, cada caso é um caso. Vamos respeitar...Se fosse advogada e tivesse condiçoes de sobreviver atenderia algumas pessoas sem cobrar um real, somente as custas. Seria uma forma de colaborar por um mundo melhor. Abs

    ResponderExcluir
  10. Tem gente que não sabe lê mesmo, o cara falou que o cliente tinha situação CONFORTÁVEL.

    "Se fosse advogada e tivesse condiçoes de sobreviver atenderia algumas pessoas sem cobrar um real, somente as custas."

    O TJSC já tem esse serviço e muitos advogados atendem desta forma, basta se inscrever. Só que o serviço é para os pobres não para quem tem grana.

    ResponderExcluir
  11. Não estou acostumado com advogado não amigo Anônimo,até porque nunca vou me acostumar com alguém que me cobra um preço astronômico para fazer um servicinho que meu filho faria se tivesse a carteira da OAB.Acostumar a ser roubado é coisa para trouxas e eu só sou trouxa as vezes.Cobrem o preço justo e parem de roubar seus clientes.
    Ah e tenho uma coisa a falar sobre as meninas do Boulevard:Cobrem o preço justo e parem de roubar seus clientes.

    ResponderExcluir
  12. sem comentários ao postado acima (Ricardo Chicuta)... é tanta ignorância que dá até pena do infeliz!!!

    ResponderExcluir
  13. Acho que o Anônimo é uma das meninas do Boulevard...

    ResponderExcluir
  14. Ricardo, você é um grosso, um troglodita, um ignorante que generaliza tudo e coloca todos no mesmo saco. Um verdadeiro homem das cavernas perdido em 2010. Tomara que um dia você precise de um advogado e pegue um que te cobre R$ 200,00 e faça o trabalho igual ao seu filho.

    ResponderExcluir
  15. O Anônimo disse que eu sou feio bobo e cara de mamão...E minha mãe dizendo que eu sou lindo...Porque vc. mentiu para mim mãe?Porque????

    ResponderExcluir
  16. Acredito que as exposições acima, algumas até com efeito ofensivo, são frutos da ignorancia, no sentido literal da palavra, pois a maioria da população desconhece totalmente a composição do Estado, principalmente do Poder Judiciário.
    Os honorários citados são aviltantes, pois não estamos falando de um "servicinho", mas de um bem e um direito que a pessoa quer ver tutelado, assim, ao avaliar o trabalho, tenha em mente o direito/bem que está sendo questionado.

    ResponderExcluir
  17. Concordo com o amigo acima.

    ResponderExcluir
  18. Até que para um assunto morno e sem graça, segundo muitos, os comentários renderam...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O advogado tem que cobrar um preço justo para a propositura de uma Ação em favor de seu cliente.Mas nada melhor do que usar de bom-senso e analisar também a situação financeira de seu cliente, pois o advogado é como médico, se for bom sempre terá cliente e ao contrário do já comentado " Se meu filho tivesse a carteira da OAB", essa sim é difícil de conseguir !!!

      Excluir
  19. AÍ SEUS CUZÕES DVOMERDAS, A ADVOCACIA ACABOU , ACABA DE ACABAR PCC E CV VAI DOMINAAAAAAAAAAAAAA

    ResponderExcluir
  20. Infelizmente isto está ocorrendo muito na advocacia! Tem pessoas como familiares, amigos acham que depois de se formar, ficaremos ricos!

    ResponderExcluir