agosto 24, 2016

Bancos, por que não confiar neles

Bancos - nao se pode confiar
Maluf é deputado federal, isto é, autoridade; já declarou um porrilhão de vezes que nunca teve conta no exterior; aí vem o banco e paga indenização por uso de uma conta que não existe? Tá parecendo casa de tolerância. Descontrole. E nós ainda votamos num cara desses deixamos nosso dinheirinho nesses lugares.

agosto 22, 2016

Coice de porco

Romario 

Romário foi processado pelo Del Nero, insuspeito futuro presidente da ilibada CBF, por ter dito que o mesmo (Del Nero) “merece 100 anos de prisão.”

Caiu no Supremo, centro maior do saber jurídico e senso de justiça em estado concentrado, que decidiu por unanimidade (decisão inteligente, portanto) o seguinte: “Merece 100 anos de prisão” não é injúria. É, sim, apenas uma crítica por ser o cartola uma figura pública.

Não é uma maravilha? Guardamos essa em dois pendrives pra não perder. Chamar figura pública de ladrão é crítica. Pode processar que não dá nada. Pro Baixinho, não deu…

agosto 15, 2016

Misturou carne com pão

Renner
O cara trabalhava nessa loja (acima, cujo nome não podemos citar porque confunde comercial com jornalístico, e, como diremos… comeu uma colega.

Aí, o chefe do cara, provavelmente um desétero* enrustido que não pega ninguém, foi lá e demitiu o pegador.

O Putz não é um arauto da esbórnia. A gente não está defendendo aqui que uma empresa tem que ser como Câmara de deputados. Não, nada de promover a transgressão. Cruz credo! Mas também não dá pra querer que o escritório seja um templo evangélico; se bem que tem igrejas que… deixa. Uma pegaçãozinha tem que ter. Não aquele negócio de todo mundo come todo mundo, não, isso também não; mas aquela coisa saudável de ver uma boa bun… deixa dois.

No caso da Renner, aliás, da empresa acima, felizmente, teve um juiz que atuou em favor da esbórnia da liberdade de expressão empresarial. Ele botou no rabo da empresa acima deu ganho de causa ao empregado bom das bocas que ganhará uma indenização de R$ 39 mil por danos morais.

Disse o juiz (um gênio na análise das relações sexuais interpessoais trabalhistas): tais relacionamentos são “vicissitudes da vida” que ocorrem, inclusive, “com chefes de Estado e renomados políticos”. É da natureza humana estabelecer relações empatias e antipatias, encontros e desencontros, amores e desamores.

Medalha de ouro pro juiz.


(*) A gente não sabe. Nem sabemos se era homem. Isso é só uma elucubração que tem fim meramente filosófico no contexto do estrito conjugado com o nada a ver.

agosto 08, 2016

Só pra relebrar (mar/2014)

Exemplo de paz

Paz legislativa
Os dois vereadores que aparecem nessa foto são de Chapecó. Inconformados com a belicosidade registrada na Câmara deles, saíram atrás de tecnologia de paz e souberam que Criciúma é um exemplo de calmaria. Então eles vieram, falaram com a Tati, nossa bela presidente, que garantiu que a Câmara de Criciúma é mais tranquila que que um asilo de cegos. E é mesmo. Olha só…
Seta2
Fabris x Hulk
Briga na Câmara Criciúma
Ó que coincidência. A Tati no meio do sossego.

agosto 01, 2016

Só pra lembrar (março/2014)

Rasgação na ACIC

Temer na Acic
Temer na Acic - rasgacao
Toda essa rasgação de seda ficou, assim, digamos, meio sei lá. Vamos à análise.
Temer veio, ficou uma horinha e calçou o cabelo de volta pra Brasília. Nem a segunda dama trouxe.
Era posse da diretoria da Acic, mas JP Messer matou: a estrela da festa foi o Temer. Aí é que está o nó. Estrela por estrela, podiam ter trazido o Padre Marcelo; Ivete Sangalo, talvez; Roberto Carlos, vai – de repente a Acic descolava um patrocínio da Friboi. Essa turma aí, era só trazer, pagar o cachê e mandar de volta no fim da festa. Tudo privadamente.
Já o Temer não. Com ele veio meia Brasília, entre piloto, mecânico, comissárias, segurança (20), garçom, camareiro, contra-regra, mordomo, mestre de cerimônia, flanelinha. O lado bom é que essa galera veio tudo de graça… pra Acic. Quem pagou fomos nós. 
O que fica é aquela pontinha de dúvida quando se vê a iniciativa pública fazendo festa na privada. O povo pagando e meia-dúzia levando vantagem. Tudo publicamente.

julho 25, 2016

Março de 2014... tempos horríveis onde os bandeirinhas erravam

Gol suspeito

Gol suspeito
Futebol é uma ciência exata onde cada erro gera reação proporcional ao peso dividido pela massa atingida ou equivalente, o que vier primeiro.
Analisando as repercussões do jogo Tigre 1 a 0 no Metrô, encontramos algumas vertentes que podem levar a tudo, menos coisa que ofenda vetores objetivos na escala padrão Fifa da bola rolando.
Nós, dependentes da força e da riqueza do Mahatma Angeloni estamos nos sentindo a Ucrânia diante da declaração de guerra da torcida de Blumenau ao supermercado do nosso líder máximo (pra quem não sabe, eles estão em campanha para que metropolitanos só comprem no Cooper e rede Top). Ninguém dorme direito na Ucrânia.
Se o boicote deles for proporcional à ilegalidade do gol o Angeloni fecha. Nunca na história desse jogo se viu tanto impedimento. O Baier devia ser multado. Vai que o bandeira vê. Aliás, a torcida do metrô devia impedir o oculista do bandeira de exercer a profissão. Devia esquecer o Angeloni e ir pra cima do bandeira.
Mas guerra é guerra. Se 100% da torcida deles realmente  boicotar o super(mercado) deve ter redução de 0,09% do faturamento e o nosso líder pode se ver obrigado a atrasar o pagamento na lotérica da fatura da Casan de sua residência sem heliporto.

julho 18, 2016

O post é velho, março de 2014... mas a buraqueira continua lá

A negação enrustida

Dizer no
Paulo Meller, hoje, na Som Maior…
Lessa: Presidente (do Deinfra), a rodovia Jorge Lacerda está uma vergonha cheia de buracos. Ela vai ser revitalizada?
Meller: Antes de mais nada… (pronto, já se sabe que não vai – se fosse ele não ia perder a chance de dizer na primeira frase), tenho que dizer a você e para seus ouvintes (excrecência inútil, lindo – tá falando na rádio, logo…) que a Jorge Lacerda é municipal… quem tem a obrigação de mantê-la é a prefeitura… de qualquer forma, estamos estudando um pacote, onde ela pode entrar… já foram iniciados os estudos, mas não foi batido martelo… é sabido que estamos atentos ao problema… mas o município tem que dar manutenção e, assim…
Tradução: NÃO!

julho 13, 2016

O mais rico mão-de-vaca do Brasil

Ricao da vez

O homem mais rico do Brasil (não é o Eike Batista – esse parece que já está na fila do Bolsa-Família) é o Jorge Paulo Lemann, que acaba de completar 75 anos. É o ricão da vez.
E o Lemann vai comemorar seu aniversário de forma diferente do que fazem os endinheirados. Esses normalmente fecham um castelo na França ou dão de presente uma casa com heliporto pra namorada com cara de neta (o aniversário é deles, mas quem ganha é a gostosa amada).
Pois o Lemann, que tem 23 bilhones em caixa  e fama de nadar com Sonrisal na mão sem fazer borbulha, convidou os amigos para seu níver… em Boston. 
Ele estudou na Harvard e combinou comemorar lá a passagem de ano debatendo com acadêmicos, empresários, executivos de classe mundial e amigos durante um fim de semana. O tema será: Explorando o Conhecimento e o Futuro.
Os convidados terão que pagar suas passagens, mas Lemann, num gesto de extrema bondade, vai pagar hospedagem num quatro estrelas de Boston.
Consta que é alta a incidência de convidados alegando outro compromisso para a data.

julho 04, 2016

Estatísticas e suas pegadinhas

Escala-pib
Lemos no jornal que 130 mil criciumenses ganham R$ 1.000 por mês, 58 mil ganham R$ 2.500 e uns 4 mil ganham mais de R$ 5000. O jornal diz que chegaram nesses valores dividindo o PIB pelo número de habitantes. A escala é só essa. Nada dos acima de 20, 50 ou 100.
Fica difícil. Parece estatística pra medir pobre. Pra nós a conta é mandrake. Pra começar, nem todo mundo pega no batente por aqui. Crianças, os próprios desempregados, políticos, etc. Tem também as garotas de programa, que tem renda variável, tecnicamente integram a força de trabalho, mas formam uma classe localizada ali meio entre o… deixa pra lá.
E tem a outra turma. Angeloni (que tem PIB próprio)  nas cabeças, o falecido Zé Mezzari (foi-se, mas não levou a dinheirama), o Cizeski, o Smielewski (da Betha) e o Fontaneski. Só eles dão uma mordidaça no PIB que sobra pouco pra fechar a conta do jornal. A escala (as três faixas) é fraca. Na boa, sem preconceito, botar o Angeloni numa faixa coladinha com a do Denis Luciano (exemplo)… cá pra nós, só passa porque aqui é Brasil.
R$ 5 mil… é a garrafa de vinho que o homem toma no almoço.

junho 27, 2016

Imagina o vinho que esse cara toma…

Maior mansao do Brasil
Essa propriedade ficou pronta recentemente e foi notícia na Veja. É a humilde residência do Dallevo Jr. A casa tem estacionamento para quatro helicópteros e ele, além de sócio da Rede TV!, é casado com o avião a apresentadora Daniela Albuquerque.
Grande coisa!!! Temos coisa melhor aqui. Estamos falando do Mahatma Antenor Top Class Angeloni. Puxamos no Google Earth e…
Casa de Mahatma Antenor
É muita humilhação. Nem hangar tem. Garagem, se bobear mal mal cabe duas ou três Ferraris e a Mercedes SL 63 AMG do homem. Se casa regula, o da Rede TV deveria ser presidente do Manchester United. Sem querer exagerar, o fabuloso vinho "Hermitage La Chapelle 1961" que nosso Mahatma bebe com convidados especiais, o avião a Daniela usa pra encher a piscina privê do quarto dela de 1.200 metros quadrados (ela fica que nem uma pitanga depois que mergulha no vinho).
Sobra de consolo, que em matéria de aeronave a atual do Mahatma não deve nada pra Daniela pitanga.

junho 21, 2016

Sobre o caso concreto... será que alguém foi preso?

A maldição da supostabilidade

Rbs
A bela errebeesseana Janine deu, com sua maviosa voz: “Câmara continua a investigação sobre os SUPOSTOS desvios de recursos da Unesc em 2012.”
O medo do dano moral gera coisas tortas. Na Globo é assim, eles sabem que a coisa aconteceu, mas a aplicação cada vez mais frequente do prefixou (ou sufixo) “suposto” tem peso estratégico. Entre “suposto” o e processo, vai o “suposto” e o dano moral morre na casca.
A nossa globinho (RBS Criciúma) às vezes se enrola no pressuposto. Nesta semana, Janine Limas cunhou a frase acima sobre o desvio da Unesc. Suposto é o único qualificativo que o desvio não tem. Aconteceu pra valer. Fato. A grana sumiu, escafedeu-se. Suposto envolvimento dos acusados? Também não (todo mundo sabe), mas aí, supostamente, cabe aquela enroladinha básica pra não atiçar a sanha dos advogados atentos na telinha.

junho 14, 2016

Nada como um dia depois do outro

Qual é a tua, Raimundo? (fev2014)

Colombo
Nesta terça-feira, na ALESC, nosso grande líder estadual, Colombo, tirou um ovo da cartola. Disse ele, se achando o mago das benfeitorias: “Não sei onde está essa crise; vivemos o pleno emprego; SC possui o segundo melhor nível de emprego do mundo, com desemprego abaixo de 3%, atrás apenas de Cingapura”.
É mesmo? Então, uma leitura fuleira, amparada no baixo nível de instrução que o catarina recebe em suas escolas, conclui o seguinte: a iniciativa privada faz seu papel, todo mundo trabalha recebe e gasta, paga imposto às pamparras e o retorno está pra cá de Maraquesh. Infra estrutura de dar vergonha do compadre e segurança, saúde e educação que só são lembradas nos discursinhos das campanhas.

junho 06, 2016

Só pra recordar

Já que nosso brande ídolo está se aposentando... 

Paulo Baier de Munique 

vs. 

Ronaldinho Gaúcho

Paulo Baier & Ronaldinho Jornal espanhol divulga exigências de Ronaldinho Gaúcho, formulada pelo seu simpático irmão Assis, para se transferir para o Besiktas: 
- Sete passagens aéreas por ano para viajar com a família para o Brasil
- Um carro com motorista e combustível, por conta do clube
- Arcar com os salários dos funcionários que servirem em sua residência
- Patrocínio individual
- Telefone fixo e celular custeados pelo clube
- Possibilidade de transferência após um ano
- Salários de 6 milhões de euros (R$ 19,3 milhões) por temporada
- Multa quando houver atraso no pagamento em mais de dois meses
- Percentagem de vendas da camisa
- Bônus por títulos e metas alcançadas
************
Em primeiríssima mão, descobrimos a pedida de Paulo Baier de Munique para acertar com o Tigre:
  • Vinte passagens de ônibus leito para sua família vir de Ijuí visitá-lo
  • Acesso free no SuperMegaCenter Angeloni, departamento de picanhas
  • Celular via satélite que dê linha
  • Advogado para agilizar sua aposentadoria no INSS
  • Tratamento dentário com o mesmo mastodonto que operou milagre em Ronaldinho Gaúcho
  • Bonequinho próprio (ele sabe que fizeram um pro Zé Calos) com participação de 50% nas vendas
  • Bônus pra não cair

maio 30, 2016

O velho caso da casa do prefeito que foi baleada

Fogo inimigo

Decio a bala

Deram uns tirinhos na casa do Décio no Rincão. Tirinhos não, fizeram da casa do prefeito um tiro-ao-alvo de parque de diversões. Todo site e jornal, passando por Rádio Eldorado e Som Maior, negam cunho político nas motivações.
Não é bem assim. Como defensores da velha e boa conspiration teory, não vemos outra hipótese. É só atentar (com perdão do trocadilho) para o modus operandi do ataque. Nunca na história desse Rincão alguém assaltou uma casa à bala para não levar nada.
Foi político. Só falta definir o mandante. Dizem que, supostamente, foi a turma do, teoricamente… deixa pra lá. A gente gosta de uma intrigazinha, mas não é louco.

maio 23, 2016

Ultraje em moda

calcao surf e moletom_thumb[1]

Putz,

Fui assaltado duas vezes no centro de Criciúma e escapei de mais duas por pouco. Já levaram meu relógio Diesel, uma corrente e 50 mangos. E vou entregar o perfil dos filhos-da-mãe: calção de surf e moletom.
Se eu vejo um cara com calção de surf e moletom, eu corro. Ou entro numa farmácia, pra despistar. Se parar um Sonata de teto preto e descer um cara de calção de surf e moletom, eu corro. Tô traumatizado. Minha mãe me comprou um calção de surf de aniversário, chorei três dias. Se ela me comprar um moletom, toco fogo.
Gostaria que vocês aí do Putz publicassem minha tese. Vou levar pra Unesc também. Existe ligação entre calção de surf e do moletom com assalto e roubo de relógio. Só falta provar.

Obrigado.

Ass.:AA (Assaltado Anônimo)